Projeto que prevê fim da validade dos créditos do SalvadorCard é vetado pela prefeitura

salvador
16.06.2023, 17:08:00
PL 130/2020, de autoria da vereadora Marta Rodrigues (PT), foi aprovado pelo Legislativo em 2021 (Marina Silva/Arquivo CORREIO)

Projeto que prevê fim da validade dos créditos do SalvadorCard é vetado pela prefeitura

Veto se baseia em argumentos da Semob e em normas atuais que permitem revalidação

O projeto de lei (PL) que visa extinguir o prazo de validade dos créditos do SalvadorCard foi completamente vetado pelo prefeito Bruno Reis (União Brasil). A decisão foi enviada à Câmara Municipal e publicada no Diário Oficial do Legislativo na quinta-feira (15).

Segundo o prefeito, o veto se baseia em argumentos da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) e em normas atuais que permitem a revalidação dos créditos.

O PL 130/2020, de autoria da vereadora Marta Rodrigues (PT), foi aprovado pelo Legislativo em 2021 e visa permitir que os créditos tenham validade indeterminada em todas as modalidades do cartão — Meia Passagem Estudantil; Vale Transporte Eletrônico; Vale Transporte Especial; Bilhete Avulso; e Bilhete Identificado.

Mas, de acordo com o que argumenta a Semob, o sistema atual possui um mecanismo de geração de 'lotes de créditos', com datas-limite de validade. A medida é considerada essencial para garantir a segurança do sistema de bilhetagem e possibilitar o controle gerencial da informação.

A Semob alega, ainda, que todos os clientes do SalvadorCard podem prorrogar o prazo de validade dos créditos, que é 60 dias além do mês de aquisição.

Agora, o veto imposto por Bruno Reis deverá ser analisado pela Câmara Municipal, que poderá mantê-lo ou, por maioria absoluta, derrubá-lo.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas